Câmara · Parlamentares · Voto

É Representado Por um Político?

DistribEleitoresRJVerDep

O objetivo do gráfico é demonstrar que votamos, mas não elegemos. Senão vejamos:

1) A maioria dos eleitores NÃO elege!
No caso, não elegem vereadores, deputados estaduais e federais: 75%; 68% e 65%, respectivamente.

2) É uma minoria dos eleitores que elege a totalidade das câmaras municipais, estaduais e federais.
No caso de vereadores, de deputados estaduais e federais, apenas 25%; 32% e 35%, respectivamente.

3) É uma minoria de eleitores que elege as MAIORIAS (metade mais um) dessas câmaras.
No caso de vereadores, de deputados estaduais e federais, apenas 6%; 9% e 9%, respectivamente.

Conclusões:

– Não temos, na prática, uma democracia representativa.
– Se a MAIORIA quiser mudar este cenário político, basta que uma pequena parcela se organize minimamente.

Obs: O que acontece no estado do RJ e na cidade do RJ se repete nos demais estados e cidades deste Brasil.

Cidadania · Todos · Voto

Cenário Político: Dá para mudar? Como?

Por Carlos Roberto Teixeira Netto

Para quem acha que não dá para mudar a política brasileira e, também, para quem é otimista, mas não sabe como…
A primeira janela de oportunidade para as próximas eleições se fechou no dia 2 de Abril, prazo de filiação partidária. A próxima janela se fecha em Junho/Julho com os partidos definindo suas listas de candidatos, as nominatas.

As eleições estaduais e federais são fortemente influenciadas pelas bases criadas nos municípios. É lá onde começa a verdadeira política. Se queremos reconstruir o cenário político é por lá que temos que começar.

São nas eleições municipais que podemos ter o eleitor próximo do candidato e custos baixos de campanha, menos sujeitos a efeitos de marqueteiros políticos com suas propagandas enganosas.

Em cinco cidades (São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, São José dos Campos) analisadas, as câmaras municipais foram eleitas com votos de apenas 20 a 36% dos eleitores. Ou seja, de 64 a 80% dos eleitores não estariam devidamente representados. Dizer que não dá para mudar, com este contingente de eleitores que votaram em legenda, em candidatos que não foram eleitos, que votaram em branco, anularam seus votos ou, simplesmente, não votaram é ser parte do problema!

Se você quer fazer parte desta mudança, se quer dar um pequeno esforço seu para isto, entre em contacto para ver como participar do Novos Eleitores, Novos Políticos.

image

#NovosEleitores

#NovosPolíticos

#EleitoresProtagonistas

Cidadania · Educação · Todos · Voto

Novos Políticos Para o Brasil

Por Carlos Roberto Teixeira Netto

DemocraciaJa_Logo
.
Se queremos mudança, teremos que ser agentes de mudança e sair de nossa área de conforto.
.
Selecionei dos posts do blog Democracia Já , aqueles que suportam a lógica do único caminho que consigo visualizar. Bem… refiro-me a um caminho de paz, sem rupturas, sem violência, dentro da legalidade, etc. São posts curtos, objetivos.
.
Seus comentários serão muito bem vindos, pois somente juntos poderemos mudar este país, tornando-o mais justo e próspero.
 .
Questionário que ajuda a entender o real problema e ações concretas para superá-lo:
.
.
O fato de determinadas coisas serem constatadas como óbvias não são o suficiente para se chegar a solução. Reflita sobre essas frases compiladas:
.
.
Este é um trabalho que NINGUËM pode realizar de forma isolada, tem que ser assumida pelos ELEITORES:
.
.
Focando nas próximas eleições de 2016…
Se o ELEITOR quiser mudar este país radicalmente, nas próximas eleições, este será o caminho:
.
.
.
Ainda… Não precisa ler todos esses pequenos posts. Escolha um cujo título faz algum sentido para você e se fizer sentido vá para outro:
.
.
.
O POVO e “seus” políticos – antes das manifestações de rua de Junho/2013… a crise de representatividade…
.
.
.
.
.
.
.
.
Que Orelha Quer Queimar? – Esforçando para contradizer Friedrich Hegel (“A única coisa que o homem aprende da história é que o homem não aprende nada da história.”)
.
#NovosPolíticos
CompetenteIntegro4x3
Cidadania · Educação · Todos · Voto

Para o Eleitor que Mudará este País!

Por Carlos Roberto Teixeira Netto

Para críticas, sugestões, ideias, etc. e… AÇÕES!!!

O ceticismo é uma de nossas maiores barreiras…
Em 2016, serão cerca de 150 milhões de eleitores escolhendo seus vereadores e prefeitos.
Haverá força mais poderosa do que esta?
Precisamos escalar a “seleção” que irá virar este jogo político.
Seguiremos escolhendo pessoas só pelo fato de serem famosas?
Seguiremos tendo que escolher entre os candidatos impostos pelos partidos?
Sabe só quem pode mudar isto?
VOCÊ, ELEITOR!

Sigo crendo que podemos mudar o cenário político a curto prazo e só depende do eleitor.

Teremos eleições municipais em 2016!
Os Novos Políticos terão até 2 de Abril de 2016 para filiar-se…

Elegeremos vereadores e prefeitos em mais de 5 mil municípios.
Se tivermos candidatos competentes e íntegros, o eleitor terá a oportunidade de votar nesses.

As votações no Tiririca, nas eleições de 2010 e 2014, mostraram que o eleitor, na falta de opções, prefere votar em um palhaço (voto de protesto).

É mais fácil eleger vereadores do que prefeitos.
Colocando, ainda mais simples, se elegermos bons vereadores, caberá a esses direcionar e fiscalizar os prefeitos eleitos.

Sabemos que o voto distrital é um bom caminho de se aproximar o candidato do eleitor, reduzir os custos de campanha, etc.
O voto, em municípios pequenos e médios, se aproxima do voto distrital, em eleições municipais. Nos grandes municípios é, também, possível o eleitor optar por candidatos de sua região geográfica.

As eleições seguintes, de 2018, de deputados, governadores, senadores e presidente, serão definidos pela nova base de novos políticos estabelecidas.

Ou seja, se… se… o eleitor quiser, este país mudará radicalmente dentro de 4 anos, no máximo.

Se isto faz algum sentido para você, vá ao link a seguir e veja lá mais sobre este movimento, em especial, aproprie-se do Manifesto de Eleitores para 2016.

Novos Políticos para o Brasil

Um forte abraço

Carlos Roberto Teixeira Netto

DemocraciaJa_Logo

Cidadania · Educação · Todos · Voto

Manifesto de Eleitores – Eleições 2016

A mudança virá no prazo que, nós, eleitores, quisermos.
Se queremos, somente, depois de gerações, teremos.
Se queremos já na próxima eleição, assim será.
Só depende dos eleitores: NÓS!

Temos que ir um pouco além do que já temos feito, pois o cenário não mudará por si só.

Visitando um amigo, assessor parlamentar há 28 anos, ele foi bem claro ao dizer que o nível de nossos congressistas tem piorando eleição após eleição. Isto não se consertará por si só sem a participação ativa dos eleitores, pois aos partidos só interessa manter o jogo do poder.
O processo está enviesado, viciado. Um processo onde pessoas de bem, competentes e íntegras se afastam; pessoas de má índole e/ou mal intencionadas são atraídas pelo binômio poder & impunidade, não pode dar certo. Só há uma única maneira de mudar isto de forma sustentável e passa pelos eleitores…

Segue o Manifesto de Eleitores das cidades que visitamos. Se fizer sentido para você, assine e repasse.
Se está em outra cidade, inicie seu manifesto e se quiser, nos informe, seria motivador.

Campinas

http://www.citizengo.org/pt-pt/15990-queremos-candidatos-competentes-e-integros-para-eleicoes-2016-campinassp

Curitiba

http://www.citizengo.org/pt-pt/15993-queremos-candidatos-competentes-e-integros-para-eleicoes-municipais-2016-curitibapr

Niterói/RJ

http://www.citizengo.org/pt-pt/15995-queremos-candidatos-competentes-e-integros-para-eleicoes-municipais-2016-niteroirj

 Rio de Janeiro/RJ

http://www.citizengo.org/en/15591-queremos-candidatos-competentes-e-integros-para-eleicoes-municipais-2016

 São José dos Campos

http://www.citizengo.org/pt-pt/15991-queremos-candidatos-competentes-e-integros-para-eleicoes-municipais-2016-sao-jose-dos-campossp

 São Paulo/SP

http://www.citizengo.org/pt-pt/15996-queremos-candidatos-competentes-e-integros-para-eleicoes-municipais-2016-sao-paulosp

Fiz uma compilação de frases e para mostrar que existe um problema sistêmico que aqui no Brasil pelo binômio poder e impunidade se agrava de forma catastrófica:
.
.
.
DemocraciaJa_Logo
.
.
.
.
.
.
Cidadania · Impunidade · Todos · Voto

Por que demorei tanto a entender e tomar ação?

Por Carlos Roberto Teixeira Netto

Já passei das 6 décadas de existência e percebo como demorei a entender coisas básicas.

Achava que se cuidasse de mim mesmo, de minha família, de minha vida profissional estaria fazendo o suficiente. Ledo engano!

Claro que não poderia prescindir dessas, mas observando o cenário politico vejo que não foi o suficiente. Ao cumprir com minhas funções como pessoa, pai de família, cidadão, contribuinte e eleitor não consegui ver um quadro do qual pudesse celebrar.

Por isto, ao começar cada dia me pergunto o que posso fazer diferente e mais, nesta direção de se ter um país melhor e mais justo. Ao terminar o dia me pergunto o que poderia ter feito diferente e melhor para que possa fazê-lo no dia seguinte.

Neste último ano, fui me defrontando com frases ditas por pessoas muito mais capacitadas que eu, com muito mais competência, que viveram em épocas distintas e em localidades distintas. Percebi que TODAS elas giravam sobre as mesmas observações e achados.

Sigo me perguntando por que demorei tanto a entender e a tomar ação…

 AS FRASES…

“Quanto maior o número de leis, tanto maior o número de ladrões”

Lao-Tsu (1300 AC)

“A punição que os bons sofrem, quando se recusam a agir, é viver sob o governo dos maus.”

Platão (428AC-347AC)

“Para o triunfo do mal só é preciso que os bons homens não façam nada.”

Edmund Burke (1729-1797)

“O momento exige que os homens de bem tenham audácia dos canalhas.”

“Quando os homens são puros, as leis são desnecessárias; quando são corruptos, as leis são inúteis.”

Benjamin Disraeli (1804-1881)

“Não é da natureza da política que os melhores homens devem ser eleitos; os melhores homens não querem governar seus semelhantes”

George MacDonald (1824-1905)

“Uma das maiores ilusões do mundo é a esperança de que os males desse mundo serão curados por lei.”

Thomas Brackett Reed (1839 – 1902)

“O maior castigo para aqueles que não se interessam por política, é que serão governados pelos que se interessam.”

Arnold Toynbee (1852-1883)

“O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim por aquelas que permitem a maldade.”

Albert Einstein (1879-1955)

“Que continuemos a nos omitir na política é tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem”.

Bertolt Brecht (1898-1956)

”Quem não se ocupa de política já tomou a decisão política de que gostaria de ter se poupado:

Serve ao partido dominante.”

Max Frisch (1911-1991) Escritor suiço

“O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.”

Martin Luther King Jr. (1929-1968)

.
.
.
.eureka
.
.
.
.
.
.
Cidadania · Todos · Voto

Dia Crucial Para o Brasil – Por Roberto Costa de Oliveira

DiaCrucialParaOBrasil

Carta escrita para os 1.500 colaboradores da EXAL, pelo amigo presidente Roberto Costa de Oliveira – Reproduzida com autorização:

“Dia crucial para o Brasil”

Caros Colegas:

Domingo é um dia crucial para o Brasil. Nele vamos exercer o poder máximo de cidadãos, que é o voto. Estou lhe escrevendo para que você o faça da maneira mais consciente possível – com informações, ouvindo opiniões de gente balizada.

A nossa empresa é politicamente isenta, como diz nosso Código de Ética, ponto 7: “Não adotamos cor político-partidária ou religiosa.”
Dentro desta isenção, gostaria de chamar a atenção para a realidade que nos cerca, de forma a lhe fornecer um bom pano de fundo para escolha do seu candidato, principalmente para o cargo máximo da nação:
Estamos perdendo de 7 a 1 na economia: enquanto a inflação se aproxima de 7%, o crescimento não vai chegar a 1% neste ano. O país está em recessão e o número de empregos parou de crescer e começou a cair.

Múltiplos escândalos graves chocaram os cidadãos de bem do país: Mensalão do PT, corrupção em Ministérios e Autarquias, corrupção e desmandos na Petrobrás, etc. As autoridades responsáveis disseram, como de praxe, que nada sabiam de nada.

O superavit primário (economia para pagar juros da dívida pública) que era da ordem de 3,5% do PIB, neste ano deve se aproximar de zero. O governo está gastando muito mais do que pode. Conseqüentemente, a dívida pública está aumentando.

A reputação do país no mercado internacional está em franca deterioração. A “contabilidade criativa” praticada corroeu a credibilidade nos nossos números. Nossa política exterior não nos credencia a ocupar um lugar proporcional à sétima economia do mundo que somos. Os nossos mandatários assumiram posições diplomáticas altamente questionáveis não só na ONU mas também em outros foros internacionais.

O setor industrial caiu de 24% do PIB há duas décadas atrás para aproximadamente a metade agora. Perdemos competitividade internacional em vários segmentos.

O Brasil vinha tendo superavit na balança comercial no comércio exterior, mas ultimamente isto se deteriorou e se transformou em déficit. Uma das conseqüências foi a disparada do dólar e considerável enfraquecimento da nossa moeda.

Temos problemas sérios e recorrentes no sistema de público de saúde (SUS) do país – tanto no atendimento dos cidadãos que necessitam como na remuneração adequada a hospitais públicos e filantrópicos.

Os índices de criminalidade continuam a subir no país todo. A impunidade é quase a norma, e não a exceção.

Nossa educação não tem evoluído no ritmo que deveria: caímos em índices de desempenho comparado com os de outros países (relatórios da OECD).

Precisamos reforma política, reforma tributária, reforma trabalhista, reforma previdenciária, reforma fiscal e reforma judiciária. Nos últimos governos, nenhuma destas reformas foi sequer iniciada. 
Alguns outros itens não mencionados nos 10 pontos acima – mobilidade urbana, desmatamento de florestas, mudanças climáticas, defesa civil no caso de calamidades públicas, tratamento de resíduos, saneamento básico, infra-estrutura viária, infra-estrutura aeroportuária, infra-estrutura portuária, etc, também deixam muito a desejar em todos os rincões da pátria.

Em resumo, estamos em um momento crítico em quase todas as esferas. A escolha daqueles que vão conduzir a nação, especialmente o(a) Presidente, Senadores e Deputados Federais e Estaduais, é crucial para o nosso futuro. Sugiro que pensem muito, discutam com outros, orem, e exerçam o direito de escolher com a máxima consciência possível.

Um abraço,

Roberto Costa de Oliveira

Diretor Presidente

DiaCrucialParaOBrasil

Cidadania · Educação · Todos · Voto

Pesquisando sobre Candidatos e Partidos na Política Brasileira

Por Carlos Roberto Teixeira Netto

PerfilCandidato

Preparei um questionário sobre os candidatos e partidos de nossa política.

A ideia é que ao responder você se pergunte: O que está a meu alcance fazer?

As respostas podem ser vistas, após ter respondido e submetido. Comentários e críticas são muito bem vindas.

Este questionário pode dar clareza ao nosso cenário político e onde temos que focar, SE… se queremos um futuro diferente. Desnecessário dizer da urgência…

É, também, minha contribuição de uma consultoria gratuita aos partidos:

Se quiserem acertar o caminho é só ouvir o eleitor!

MAS, ESCUTEM, DE VERDADE!

Observação: Se tiver alguma dificuldade em usar o formulário a seguir, pode usar, também, este link:

https://docs.google.com/forms/d/11qKaUY3NpK45Nu8DwXBIP7qdcfENymnqz4dBOmZojSw/viewform

 

 

Cidadania · Educação · Todos · Voto

Mãos à Obra !

Por Carlos Roberto Teixeira Netto

Já parti para o que julgo ser a única saída sustentável, pacífica e sem rupturas para esta situação política que vivemos. Tem uma beleza e desafio: SÓ DEPENDE DE NÓS!

Estabeleci uma meta de 23 mil novos políticos até 2023. Terão que ser 2.300 por ano. Perfil desses: competentes e íntegros.

Estou mirando em três grupos.

O primeiro de resultado a curtíssimo prazo. Pessoas na faixa dos 50 anos que já se provaram e já tem seu patrimônio pessoal e não precisam se vender. Tem uma vida a apresentar como CV. Estariam começando sua aposentadoria.

O segundo grupo seria formado por aquelas pessoas na faixa de 40-50 anos, competentes e íntegros, que sejam funcionários públicos e que possam se licenciar por um tempo e retornar depois de ter prestado este serviço ao país.

O terceiro grupo seria formar jovens de baixa renda, pois os de classe média querem distância da política e não os julgo por isto. Pequenos círculos de amigos apadrinhariam esses jovens, entrando na faculdade e dando a eles treinamento, viagens para conhecer outros países e sistemas de governo. Estariam fazendo relatórios, publicando artigos e acompanhando as câmaras legislativas e consultas públicas.

A eleição vem aí e precisamos de candidatos competentes e íntegros, ou seguiremos descontentes e falando mal do governo. Desculpe-me. Já não estou comprando mais banana verde…

O criador do ITA, Casimiro Montenegro Filho, olhou para o Brasil, pouco depois da II Guerra e viu que o Brasil precisava de uma indústria aeronáutica. Começou pela educação, criando o ITA. Olhe para o Brasil e veja se o país não precisa de novos políticos, competentes e íntegros.

O modelo atual da política brasileira repele pessoas competentes e íntegras e atrai pessoas de má índole e/ou mal intencionadas. Se não revertermos isto, nada poderá resolver o problema que temos. Simples assim.

Estarei indo a Brasilia, no dia 12 de março e lá estarei falando com alguns poucos políticos com este perfil (competentes e íntegros). Para que eles entendam o que pretendo e que eles nos ajudem neste processo.

Na última eleição, o  vice da Marina, Guilherme Leal, já começou algo muito consistente. Link: RAPS: A nova turma RAPS 2014 ficou assim distribuída: 47 Líderes RAPS,  46  Empreendedores Cívicos e  59 Jovens RAPS.

Toda pessoa que converso tenho colocado esses pontos e peço que se ela não for a pessoa certa para entrar na política, que encontre pelo menos uma. Incentive-a, apoie-a.

Estarei reunindo-me com amigos em Niterói para colocar isto na prática, já nessas próximas eleições. Vamos ver como anda.

Outra frente paralela a esta é a campanha junto aos partidos para que deixem de apresentar candidatos que eles querem e passem a apresentar candidatos com o perfil que o eleitor quer (competente e íntegro). Quem fizer isto primeiro e bem feito partirá com 30% de vantagem (mais ou menos os eleitores que não querem seguir votando no menos pior dos piores).

Fiz estas duas apresentações que resumem isto:

O POVO e “seus” políticos:

e

Uma ficção possível para o Estado do Rio de Janeiro :

Se puder ler e reler o que escrevi acima e me der um retorno sincero. Se faz sentido, etc. Pois, tenho pensado muito e existem outras ideias muito boas como o voto distrital, a criação de partidos como o Partido Novo, uma nova constituição uma reforma tributária, criar a opção do voto “Nenhum dos anteriores” como forma de declarar a nulidade da eleição, etc. Tudo isto tomará tempo e passa pelo gargalo que são os “novos políticos”.

Se puder ler a Parábola da Lâmpada (*), entenderá do que estou falando. Temos que entrar na política, pois é a única maneira de mudar isto que está aí. A terceirização da política não funcionou. A política é muito importante para ser deixada com os políticos. Ou seremos uma outra Venezuela ou Ucrânia, em um horizonte curto de tempo.

(*) https://sites.google.com/site/novospoliticosparaobrasil/dashboard2/a-parabola-da-lampada

Segue algumas das atividades que destaco, desta caminhada:

SãoPaulo: Meu ex-chefe, Luiz Fortes, sugere uma prova de conceito. Para isto elegi Niterói.

09/03 – Cataguases: Entrevista com ex-prefeito, Tarcísio Henriques.  Lideranças partidárias, geralmente, são barreiras a candidatos competentes e íntegro. Participo de reunião com vereadores e cidadãos preocupados com o futuro da cidade. Pelo menos um novo político foi abordado (JH).

12/03 – Brasília: Encontro com o deputado Emanuel Fernandes.  As estruturas partidárias, também, são barreiras a candidatos competentes e íntegros.

12/03 – Brasília: Encontro com Henrique Ziller, da Ouvidoria do TCU. O fato dele ter decidido a se candidatar para dar sua contribuição para a política, mostrou-me esta outra importante fonte de Novos Políticos.

25/03 – Rio de Janeiro: Encontro com amigos e amigos de amigos para discutir o diagnóstico e ações.

13/04 – Niterói: 1a. apresentação. Três possíveis Novos Políticos.

26/04 – Campinas: 2 apresentações, com a presença de ex-guerrilheiros, um do MR-8 e outro do Colina. Ambos perceberam que o caminho para a justiça social não poderia ser pela violência e a democracia é o caminho.

09/05 – Niterói: O grupo original que se prepara para lançar candidatos a vereadores em 2016 decide apoiar candidata deputada federal,  Marilene Vieira. Apoiamos a candidata, mas não o partido. Será um teste para participar de uma campanha sem recursos financeiros que não sejam de eleitores.

12/05 – Curitiba: 7 apresentações (21 pessoas). Conhecemos a vereadora Carla Pimentel e dois potenciais Novos Políticos.

03/06 – Niterói: Apresentação de modelo de Desenvolvimento Transformador, da Visão Mundial, para Marilene Vieira, que se dispôs usar os conceitos, se eleita. Este modelo visa o desenvolvimento integral da criança, protegendo-a e propiciando um ambiente adequado a seu desenvolvimento saudável.

07/06 – São Paulo: Encontro com engenheiros do ITA e amigos

10/06 – Niterói: 3a. Rodada da apresentação do Novos Políticos para convidados de Marilene Vieira

05/08 – Niterói: 4a. Rodada da apresentação do Novos Políticos para convidados de Marilene Vieira

16/08 – São José dos Campos: Encontro com engenheiros do ITA e amigos

Este NÃO é um projeto de uma pessoa, mas de todo eleitor que acredita que este país pode mudar a partir de suas ações junto a amigos e amigos de amigos. 

#PoliticosParaOBrasil

.

.

.

.

Executivo · Voto

Votar é importante, mas ter em quem votar, também, é!!!

Por Carlos Roberto Teixeira Netto

VotaRio2014v2

Ao ver uma pesquisa do DataFolha os pré-candidatos para governador do Estado do Rio de Janeiro para as eleições de 2014 fiquei chocado, pois quem estava na frente era “o candidato Branco Nulo“. Diante dos nomes dos demais ficou claro o porquê.

Tinha duas alternativas. A primeira seria não fazer nada, esperar as eleições e anular meu voto. A outra alternativa que tinha e me apossei foi de fazer algo. Dei início a uma petição com objetivo de sinalizar para os partidos que os pré-candidatos não seriam os adequados para governar o Estado do Rio de Janeiro. Para que eles procurem, urgentemente, melhores candidatos e assim tenhamos candidatos passíveis de serem votados. Segue uma rápida apresentação que lhe dá o poder de mudar:


Se estiver de acordo, convido-o a assinar a petição e divulgar entre sua rede de confiança.

Segue o texto e o link:

Você pode assinar esta petição clicando aqui.

Aos partidos existentes: Candidatos para Governador do Estado do RJ:

Queremos candidatos com: vocação, capacitação e reputação ilibada.

A política brasileira (poder & impunidade) tem atraído pessoas inadequadas para ocupar cargos públicos e repelido pessoas que precisamos para este Estado.
Como nunca fui consultado nessas pesquisas, vou antecipando meu voto para Governador do Estado do Rio de Janeiro, em 2014. A intenção é dar aos partidos a chance de, até lá, virem com melhores candidatos…
Assinale a melhor alternativa:
(  ) Anthony Garotinho (PR)
(  ) Cesar Maia (DEM)
(  ) Lindbergh Farias (PT)
(  ) Luiz Fernando Pezão (PMDB).
(  ) Romário (PSB)
(X) Nenhum dos anteriores

VOTAR É IMPORTANTE, MAS TER EM QUEM VOTAR, TAMBÉM É!!!